Mitos e verdades sobre smartphones

O uso do celular cresceu 88% durante a pandemia. Muita coisa, né? Assim, mostramos o que pode ou não fazer com os aparelhos celulares



De acordo com a mais recente pesquisa anual do FGVcia (Centro de Tecnologia de Informação Aplicada da Fundação Getúlio Vargas), hoje 234 milhões de smartphones circulam pelo Brasil. Segundo um levantamento da empresa de marketing de influência Squid, a pandemia provocou um aumento no uso do celular em 88%.


Esses dados mostram que para se manter conectado durante todo o dia, é fundamental estar atento aos hábitos que podem prejudicar o smartphone e acabar gerando gastos inesperados para realizar consertos! Tatiana Moura, sócia e fundadora da maior assistência técnica especializada em troca de vidros de celulares do Brasil, a FixOnline, esclarece cinco mitos e verdades muito comuns quando o assunto é celular.


1) O CARREGADOR PORTÁTIL PODE SUBSTITUIR O CARREGADOR ORIGINAL DO APARELHO?


MITO! É fato que de uns anos pra cá esses aparelhos milagrosos têm ficado populares por serem práticos, pequenos e não exigirem tomada, mas é recomendável que sejam usados apenas quando realmente necessário. "Nenhum dispositivo substitui o carregador original do aparelho, pois esse foi desenvolvido especificamente para a bateria daquele modelo", explica a especialista.


"Além disso, é comum que power banks esquentem o aparelho enquanto o carrega, então é aconselhado deixá-lo na sombra durante o processo. Outro cuidado que deve ser tomado é não retirar o carregador portátil antes que o celular atinja a carga completa, pois isso pode danificar a vida útil da bateria. Sobre as versões falsificadas, não preciso nem dizer né? Além de prejudicarem a bateria, podem danificar a placa e já vi casos em que o carregador pegou fogo", complementa a técnica da FixOnline.


2) PODE MEXER NO CELULAR ENQUANTO CARREGA?


VERDADE! Dada a evolução dos aparelhos celulares, isso não pode ser mais considerado uma grande preocupação, mas segundo a profissional, existem alguns pontos a serem levados em consideração. "Se o celular está carregando e você o utiliza para realizar funções básicas moderadamente, como enviar algumas mensagens, acessar e-mail ou outros aplicativos, isso não causará dano algum. Mas colocar vídeos longos, ficar jogando joguinhos e outras atividades mais pesadas, pode superaquecer o aparelho, o que danifica a bateria e faz com que a carga demore mais para completar. Ou seja, se possível, reduzir o uso nesse momento é opção mais saudável"


3) TELA RACHADA PREJUDICA O FUNCIONAMENTO DO APARELHO?


VERDADE! É bastante comum ver pessoas utilizando o celular mesmo com o vidro rachado, mas de acordo com Tatiana, o uso do aparelho quebrado não é indicado. "Após a queda, mesmo que o aparelho esteja funcionando normalmente, há riscos tanto para o telefone, quanto para quem o manuseia", alerta. Isso porque, com o tempo de uso, o trincado pode aumentar de espessura e profundidade, afetando a funcionalidade do eletrônico. Pequenos farelos de vidros também podem ser soltos, expondo o usuário a cortes.


Quando isso acontece, o consumidor costuma entrar em desespero, achando que terá que trocar tudo e pagar um absurdo pelo serviço, mas a técnica faz um alerta: "apesar da grande maioria das assistências trocarem tudo, em 90% dos casos a quebra é apenas do vidro e não do LCD", revela. A troca somente do vidro gera uma economia de 70% no orçamento.


4) CAPINHAS INTERFEREM NO SINAL?


MITO! As capinhas mais comuns são feitas de silicone, borracha, couro e TPU. Esses materiais não causam preocupação em relação ao sinal do celular, pois não constroem barreiras. Mas Tatiana alerta para as capinhas com metal em sua composição "Elas podem mudar esse cenário, visto que o material causa interferência no caminho das ondas de radiofrequência, dificultando que o celular emita e receba os sinais. Isso pode afetar o sinal da rede, Wi-Fi e Bluetooth, então melhor evitar capinhas com esse componente, certo?"


5) FECHAR APLICATIVOS EM SEGUNDO PLANO DEIXAM O CELULAR MAIS RÁPIDO?


MITO! Essa versão até chegou a ser verdadeira um dia, mas hoje os smartphones possuem processadores potentes que fazem automaticamente o gerenciamento de desempenho. Dessa forma, enquanto as janelas de segundo plano não estão sendo utilizadas, elas ficam ali apenas pré ativadas, basicamente congeladas, portanto, de acordo com Tatiana, isso não interfere na velocidade que o aparelho opera.

Posts recentes

Ver tudo

Alunas do RS destacam-se em feira nacional de ciência

Elas tiveram seus projetos premiados ou como finalistas na 19ª Febrace, demonstrando todo o potencial feminino no segmento Estudantes de escolas gaúchas foram finalistas na Feira Brasileira de Ciência

  • Branca Ícone Instagram
  • Ícone do Facebook Branco
  • Ícone do Twitter Branco

Receba nossas atualizações

© 2021 REVISTA BENDITA