top of page

Diabetes tipo 2: monitore com app

O aplicativo gratuito Glic alerta sobre como a tecnologia pode ajudar na identificação da doença, no acompanhamento médico e controle da glicemia



O diabetes tipo 2 é uma realidade cada vez mais presente na vida dos brasileiros e representa 90% dos casos de diabetes no País, sendo mais frequente em adultos, segundo o Atlas de Diabetes, da Federação Internacional de Diabetes. Dados da assistente virtual Vic, vinculada ao aplicativo gratuito para diabetes e manejo de glicemia Glic da Afya, mostram que foram realizados mais de 10 mil cadastros de pacientes com diabetes tipo 2, de agosto a novembro de 2023, com mais de 73 mil medições de glicemia registradas na plataforma, no período.


A doença é caracterizada pelo aumento dos níveis de açúcar no sangue, que ocorre por conta da resistência à insulina, hormônio que regula a entrada de açúcar nas células, ou da produção insuficiente desse hormônio para manter o nível de glicose adequado no organismo. Está diretamente relacionada ao sobrepeso, sedentarismo, triglicerídeos elevados, hipertensão, maus hábitos alimentares e predisposição genética. Dra. Karine Risério, endocrinologista e consultora médica da GLIC, alerta para a importância de acompanhar, pois há falta de conhecimento sobre a doença


"É estimado que cerca de um terço das pessoas que têm diabetes tipo 2 ainda não sabem que possuem a doença. E não são apenas os adultos com mais de 40 que precisam se preocupar, pois essa é uma realidade cada vez presente na vida dos jovens. Por isso, é preciso ficar atento aos sinais que incluem aumento da sede, vontade de urinar diversas vezes, fome, cansaço e visão turva, sendo que, em alguns casos, pode não haver sintomas. O mais importante é manter uma vida saudável e consultar o médico regularmente, para iniciar o controle desta condição o quanto antes, se for necessário", diz a endocrinologista Karine Risério.

Quando o paciente é diagnosticado com diabetes tipo 2, o controle da glicemia é um dos principais desafios. Além do acompanhamento médico, soluções tecnológicas podem auxiliar na rotina de cuidados. A plataforma Glic possui uma média de dosagem da hemoglobina glicada (HbA1c) de 6,85%, indicando que os pacientes que utilizam o aplicativo estão conseguindo controlar efetivamente a glicemia - o ideal é ficar em até 7,2% e a média no Brasil é de mais de 9%. O tempo no alvo, quantidade de horas que o paciente ficou com a glicemia controlada em um dia, também possui um bom resultado, de 72,88%.


Com o aplicativo Glic, é possível realizar contagem de carboidratos, acompanhamento de uso de medicamentos, cálculo da dose de insulina, colher os registros diários de glicemia e fazer a conexão com uma equipe médica parceira, permitindo o acompanhamento em tempo real, por meio de um prontuário eletrônico, colaborando em decisões mais assertivas para o tratamento. A plataforma lançou ainda, em agosto de 2023, a assistente virtual Vic, para atendimento gratuito no WhatsApp, voltada para pessoas com diabetes tipo 2 e hipertensão arterial.


A versão do chatbot possibilita fazer o registro da glicemia e pressão arterial, e sua principal novidade é a opção "Informação em Saúde", com orientações sobre diabetes e incentivos para a adoção de hábitos saudáveis. "Essas ferramentas inovadoras desempenham um papel fundamental de suporte aos pacientes com diabetes tipo 2. Além de auxiliarem no controle de glicemia, orientam como lidar com situações que podem pôr em risco a saúde de quem tem adoença, com o objetivo de ajudar as pessoas a se adaptarem a um estilo de vida saudável e ao tratamento adequado", reforça a dra. Karine Risério.

(Foto: Ilustrativa Wix)


29 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo

Comments


bottom of page